Camões

Centro de Língua Portuguesa


Cidade da Praia - Cabo Verde

[1999 - 2020]

CEDEAO: Oficial Principal De Programa – Análise De Concorrência E Pesquisa Económica

[fluência oral e escrita em uma das línguas oficiais da Comunidade da CEDEAO (inglês, francês & português). O conhecimento de um segundo idioma será uma vantagem adicional]

 

SÍNTESE DA FUNÇÃO:

O incumbente será responsável pela realização de análises e diagnósticos dos condicionantes da concorrência no mercado a nível sectorial ou industrial, através de ferramentas de avaliação rápida da concorrência e indicadores de concorrência padrão; recomendando e implementando decisões de gestão sobre Análise da Concorrência e Pesquisa Económica.  Liderará uma equipe na condução de pesquisas económicas, análise de casos e desenvolvimento de políticas de concorrência; assegurando a aplicação de princípios económicos sólidos em todos os trabalhos realizados.

 

FUNÇÕES E RESPONSABILIDADES:

  • Realizar análises e diagnósticos dos condicionantes de concorrência do mercado a nível sectorial ou industrial, através de ferramentas de avaliação rápida da concorrência e indicadores de concorrência padrão e da aplicação de ferramentas analíticas quantitativas e qualitativas para avaliar as questões de concorrência na região;
  • Descobrir os desafios da concorrência nos Estados-membros da CEDEAO e propor atividades ou iniciativas para os enfrentá-los;
  • Elaborar planos de ação/reforma e programas de assistência técnica sobre política de competição, levando ao aumento da competição com base na análise de viabilidade (priorização e sequência) de reformas, tais como a eliminação/remoção de: (i) regulamentos que restringem o número de empresas ou proíbem investimentos privados, (ii) controlos sobre preços e outras variáveis de mercado, (iii) regras que discriminam certas empresas e distorcem a igualdade de condições de concorrência;
  • Implementar regulamentos de mercado pró-concorrência e programas e iniciativas relevantes, incluindo assistência técnica em política de concorrência, por meio de consultoria técnica, diálogo sobre políticas e apoio aos países clientes;
  • Integrar os princípios da política de concorrência nos programas e investimentos do setor privado da CEDEAO, para permitir uma participação eficiente e evitar distorções no campo de atuação;
  • Viabilizar o desenvolvimento de indicadores de monitorização e avaliação para intervenções de concorrência, bem como analisar o impacto de intervenções de política de concorrência.
  •  Assessorar colegas regionais e setoriais sobre a dimensão da concorrência de seus programas de reforma e garantir que os problemas da concorrência sejam adequadamente capturados pelos sistemas de M&A específicos do produto.
  • Apoiar e gerir projetos com componentes da política de concorrência, com foco na remoção de restrições específicas do setor ao desenvolvimento da concorrência nos setores envolvidos (por exemplo, agronegócio, infraestrutura, finanças);
  • Empreender a geração de conhecimento e a disseminação das melhores práticas sobre políticas de concorrência entre países e regiões, incluindo indicadores e estatísticas a situação da concorrência nos níveis económico e industrial;
  • Desenvolver parcerias de colaboração com parceiros externos envolvidos na promoção da concorrência na região e contribuir para uma estratégia coerente entre as equipas, para o benefício da região;
  • Viabilizar o diálogo político entre as partes interessadas nacionais (privadas e públicas), bem como as autoridades (instituição reguladora), a fim de promover uma concorrência efetiva entre os operadores;
  • Contribuir para o desenvolvimento e implementação de controlos internos, diretrizes, políticas e procedimentos para a Pesquisa e garantir que estejam alinhados com os objetivos estratégicos, os requisitos estatutários relevantes e as melhores práticas;
  • Identificar atividades e prioridades de pesquisa relevantes para o desenvolvimento de políticas que apoiem os objetivos da Autoridade e forneçam liderança às equipas de pesquisa, incluindo orientações sobre metodologia, análise de dados e cronogramas, de acordo com as melhores práticas;
  • Contribuir para a gestão de projetos de pesquisa externos, incluindo o desenvolvimento de termos de referência, avaliação de relatórios e formulação de recomendações;
  • Avaliar a eficácia dos planos de investigação compilados para casos/projetos focados em análise económica; aprovar método e abordagem, conforme apropriado;
  • Orientar o processo de pesquisa desde a concetualização do caso/projeto, passando pela coleta de informações e sua análise e redação final;
  • Realizar estudos no nível setorial/industrial do comportamento da empresa/estrutura de mercado, fornecendo uma análise eficaz para apoiar ou descartar as reclamações recebidas.
  • Prestar apoio a peritos externos em casos pós-referência, analisando a integridade das conclusões alcançadas, a partir de uma perspetiva económica.
  • Interpretar estatutos e conceitos económicos, orientando a equipa;
  • Desempenhar quaisquer outras tarefas relevantes designadas pelo Supervisor.

 

QUALIFICAÇÕES ACADÉMICAS E EXPERIÊNCIA:

· Mestrado (ou equivalente) em Economia, Ciências Sociais, Negócios, Administração, Relações Internacionais, Diplomacia Internacional, Administração Pública, Sociologia, História, Direito ou Ciência Política, obtido de uma Universidade reconhecida.

· 10 anos de experiência progressiva como responsável na área de integração regional, comércio, infraestrutura e recursos naturais;

gestão, bem como desenvolvimento e gestão de programas com 5 anos a nível de supervisão;

· Conhecimento demonstrado de políticas e programas de comércio internacional, técnicas e questões de promoção e marketing comercial relacionados ao comércio externo, regulamentação e técnicas do comércio externo e técnicas modernas de promoção do comércio;

· Conhecimento demonstrado de análise económica, diagnóstico de Ferramentas de avaliação rápida da concorrência setorial ou do mercado a nível sectorial ou industrial e indicadores padrão de concorrência e aplicação de ferramentas analíticas quantitativas e qualitativas.

 

LIMITE DE IDADE:

Ter menos de 50 anos. Esta disposição não se aplica a candidatos internos.

 

PRINCIPAIS COMPETÊNCIAS NA CEDEAO:

· capacidade de liderar programas e projetos designados, fornecendo as competências de gestão e operacionais necessárias para o cumprimento do mandato da organização (por exemplo, estabelecer redes, parâmetros);

· capacidade de liderar pelo exemplo e organizar o trabalho em equipa para incentivar a cooperação a fim de alcançar resultados almejados, defender e criar impulso para a mudança e promover o engajamento dos funcionários;  desenvolver e implementar controlos internos para o programa piloto a fim de gerir potenciais barreiras à implementação;

· excelentes competências de autogestão, demonstrando ética e integridade, confidencialidade e respeito pelos controlos internos de regras, delegações e transparência;

· capacidade de reunir competências/conhecimentos complementares, avaliar contribuições individuais e reconhecer/abordar realizações e deficiências de uma maneira que traga sucesso contínuo à organização;

· conhecimento de gestão de programas no nível normalmente adquirido com uma certificação em gestão de programas (por exemplo, Programas de Gestão de Sucesso (MSP) ou Programas de Gestão Profissional PgMP).

· Capacidade de pesquisar pontos de referência e tendências para trazer as melhores recomendações para o desenvolvimento e melhoria de programas/projetos que melhor sirvam a comunidade/organização;

· competências interpessoais e de trabalhar em rede bem desenvolvidas para buscar feedback, informações e dados de uma rede de profissionais de vários países/setores/organizações e para identificar e priorizar os requisitos mais essenciais da comunidade;

· capacidade de gerir e coordenar iniciativas de gestão de clientes (por exemplo, laços de feedback, pesquisas, estudos, avaliações de necessidades) e fazer recomendações;

· capacidade de desenvolver e implementar as melhores práticas de serviços ao cliente (por exemplo, painéis, gestão de incentivos, mecanismos de feedback);

· capacidade de desenvolver e implementar planos, programas e iniciativas de gestão das partes interessadas para obter adesão a novas iniciativas, a fim de melhor compreender os pontos de vista divergentes, obter recursos e aumentar a perceção de sucesso.

• diplomacia, tato e respeito a pessoas de diferentes origens, entendendo diversas visões culturais, especialmente na África Ocidental, com a capacidade de converter a diversidade em oportunidades para melhorar os resultados de programa/operacionais;

• capacidade de criar um ambiente interativo diversificado e inclusivo que se beneficie de diversos pontos fortes, reunindo práticas inovadoras;

• capacidade de permanecer objetivo nas avaliações e na gestão de conflitos, independentemente de posições ou opiniões culturais diferentes, e incentivar o pessoal a superar barreiras culturais e diferenças de origem;

• capacidade de servir os interesses de uma equipa/organizações/comunidades multinacionais culturalmente diversificadas sem preconceitos, ou parcialidade para com um grupo seleto.

· Conhecimento do mandato, plano estratégico/prioridades da CEDEAO, bem como da situação/tendência económica, política e social dos Estados-membros, especialmente no que se refere ao escopo do cargo incumbido;

·  capacidade de analisar uma situação por meio de indicadores (por exemplo, desempenho, técnico) para avaliar os custos, benefícios, riscos e chances de sucesso, na tomada de decisões;

· capacidade de reunir informações de diferentes fontes para identificar a causa dos problemas, consequências de causas de ação, possíveis obstáculos e formas de evitar o problema no futuro;

· capacidade de decompor situações/informações muito complexas em termos simples (usando gráficos, diagramas, escrita expositiva eficaz) para explicar recomendações e conclusões destinadas a resolver problemas ou melhorar operações/programas/projetos;

· capacidade de desenvolver novas perceções das situações, aplicar soluções inovadoras aos problemas e conceber novos métodos de resolução de problemas/desconexões onde os métodos e procedimentos estabelecidos não são aplicáveis, indisponíveis ou já não são eficazes.

  • proficiência oral e escrita em francês e inglês;

•  capacidade de comunicar com impacto, de forma clara, concisa, sucinta e organizada, transmitindo credibilidade & confiança ao fazer apresentações, definir expectativas e explicar questões complexas;

• capacidade de ouvir com atenção e interpretar corretamente as mensagens dos outros e responder adequadamente;

(...)

 

Aceda a informação adicional, em linha, em: https://bit.ly/3c3uCdg